Jornalista Acusa PSDB de Espionarem PT e PMDB

Em depoimento à Polícia Federal, jornalista revela ter descoberto que há dois anos grupo já investigava dados sobre aliados de Dilma Rousseff e peemedebistas 

Brasília - O jornalista Amaury Ribeiro Jr., em depoimento à Polícia Federal, divulgado ontem, declarou ter tomado conhecimento de que, há dois anos, um grupo de arapongas ligado a José Serra (PSDB) iniciou espionagem contra aliados de Dilma Rousseff (PT) e peemedebistas. Um ano antes, o mesmo grupo, segundo Amaury, já investigava Aécio Neves (PSDB), em disputa interna dentro do PSDB, que teria culminado com a quebra do sigilo de parentes e aliados de José Serra. Aécio e Serra disputavam a candidatura à Presidência no PSDB.

No depoimento, prestado semana passada à PF, Amaury diz que soube da espionagem contra petistas por meio do delegado aposentado Onézimo Graça, em reunião realizada em abril. Entre os presentes, estava o jornalista Luiz Lanzetta, que teria procurado Amaury para ajudá-lo a conter vazamentos de informações na campanha de Dilma, da qual era responsável pela comunicação.

Ao saber do interesse de petistas de contratá-lo para investigar os vazamentos de informação dentro do partido, Onézimo teria relatado que um grupo do deputado federal e ex-delegado da PF, Marcelo Itagiba (PSDB), “já estaria produzindo dossiês, contra aliados de Dilma e contra o PMDB, há dois anos”.

Amaury afirmou ter descoberto, antes, em dezembro de 2007, que Aécio era seguido por um “grupo clandestino de inteligência” e resolveu apurar quem eram os integrantes e suas motivações. Mais tarde, descobriu que o grupo trabalhava para “José Serra, sob o comando” de Itagiba.

A partir daí, segundo o depoimento, Ribeiro resolveu retomar apurações de um livro que escrevia sobre privatizações no governo Fernando Henrique e focou sua atenção também em pessoas ligadas a Serra. Ele descobriu, então, a existência de empresas em paraísos fiscais em nome da filha de Serra, Verônica, e de seu marido, Alexandre Bourgeois. Itagiba nega acusações de envolvimento com arapongagem e diz que sempre trabalhou dentro da legalidade. Procurada para falar sobre o assunto, a assessoria de Serra não respondeu.

‘Grupo seguia Aécio Neves’

À PF, Amaury relata que resolveu investigar Serra após saber que um grupo ligado a ele espionava Aécio Neves: “Em dezembro de 2007, tendo tomado ciência de que um grupo clandestino de inteligência estaria seguindo o então governador do estado, Aécio Neves, (Amaury) decidiu investigar quem eram os integrantes do tal grupo e a motivação de seus trabalhos”.

Mais tarde, ele descobriu quem eram os integrantes do grupo clandestino. Diz o depoimento: “Obteve informação de que se tratava de grupo que trabalhava para José Serra, sob o comando do deputado federal Marcelo Itagiba (PSDB-RJ)”.

Fonte: O Dia Online

AddThis Social Bookmark Button

2 comentários

  • 007BONDeblog  
    23/10/10 1:54 PM

    Prezado Saraiva

    Meu abraço e meu cumprimento pelo belo trabalho aqui desenvolvido, e por sua luta no sentido de bem informar, buscando o melhor para o nosso Brasil.

    Eu, por dever de ofício, leio O GLOBO. Você já viu queles não falam absolutamente nada sobre isso, que eles só dão destaque ao possível envolvimento de membros do PT nesse caso ?

    Estou cada dia mais abismado com a desfaçatez do jornalismo global.

    Um abraço

  • terezamedina  
    24/10/10 12:45 PM

    Vejam esses trechos.A direita domina São Paulo.
    "O povo brasileiro não aceita ser manipulado pela mesma corja que domina os paulistas.
    "A elite financeira deseja ganhar privilégios como tinham na época da ditadura, e a única maneira de impedir que isso aconteça é trabalhando para eleger Dilma Rousseff presidente do Brasil."
    Para ler o texto completo http://pt20anos.wordpress.com/2010/10/20/o-brasil-nao-e-so-sao-paulo/

Postar um comentário