CPI da Tapioca:Entre os gastos "sigilosos" da era FHC, um "pênis de borracha"!

É isto mesmo o que você leu!


Além de vinhos Romané-Contí de R$ 28 mil a garrafa,centenas de garrafas de champanhe Chandon e estadias de ministros "à trabalho" no Copacabana Palace, o "sultanato" de FHC em Brasília comprou, com cartão corporativo do governo, um "consolo"!

Onde será que "esconderam" este gasto?

Segundo o site do jornal "O Estado de São Paulo" (evidentemente, eles não noticiaram na edição impressa), dentre os gastos "sigilosos" que fariam parte de um "dossiê" das extravagâncias com dinheiro público no governo federal, no período do PSDB, está "a compra de um pênis de borracha na gestão anterior"!

O link para a notícia, obviamente, com um ponto de vista pró-PSDB: http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20080219/not_imp126917,0.php/

O texto do site diz que "o pênis foi comprado para uma aula de educação sexual numa escola pública." Para vocês verem como era a heducação (com "h", mesmo) no governo FHC.

Ou será que o tal "consolo" teve, digamos, algum "desvio de finalidade"? Ha!Ha!Ha!

Será que nele estava escrito:"uso exclusivo em serviço"? Ha!Ha!Ha!

Parece que descobrimos a causa do temor do PSDB em "aprofundar as investigações" da CPI da Tapioca.

Seus escândalos com cartões corporativos são realmente grandes!

Por Marcosomag

AddThis Social Bookmark Button

5 comentários

  • soldadonofront  
    29/3/08 9:27 PM

    O unico literal consolo desta estória é saber que não era só na nossa que ele botava.

  • Anônimo  
    30/3/08 8:42 AM

    e a hora que abrir os gastos da familia METRALHA ????

    pobre com cartão que não é ele que paga....

    deve ser uma farra !

    quem viver verá !

  • a verdade é uma só  
    30/3/08 9:06 AM

    Informado por aliados da montagem de um dossiê contra o governo Fernando Henrique, o presidente Lula decidiu vetar a exposição na futura CPI do Cartões de algumas informações daquele período.

    A idéia de divulgar na CPI a compra de um pênis de borracha na gestão anterior, para retaliar o PSDB e o DEM, foi feita durante a reunião do comando político do governo, na terça-feira. Segundo um ministro, a estratégia foi abortada porque poderia se voltar contra o próprio governo e foi considerada "muito baixa" pelo presidente. Além do mais, descobriu-se que o pênis foi comprado para uma aula de educação sexual numa escola pública. Não haveria sentido, portanto, usá-lo para fazer guerra de informações com a oposição, visto que o material serviu para ajudar na formação de alunos da escola pública.

    No governo, de acordo com um auxiliar de Lula, admite-se que houve desvios efetivamente em 5% dos gastos feitos com os cartões corporativos. Nem por isso o governo pretende acabar com ele. No máximo, informou o assessor, quer aprimorar o uso dos cartões. Nesse sentido, as recomendações da Controladoria-Geral da União e do Tribunal de Contas da União (TCU), as notícias veiculadas pelos meios de comunicação e a própria atuação da CPI poderão resultar na melhoria do sistema.

  • Galvão  
    31/3/08 7:51 PM

    Essa estória está mal contada. Um pênis de borracha (consolo) - um só, para aula em escolas pública. Por isso o ensino público no país vai tão mal. Unzinho só para toda rede pública? Qual a escola sortuda que recebeu o consolo do FHC?

  • Fábio Cassimiro  
    31/5/08 10:21 AM

    ... foi o Pannunzio quem descobriu as tapiocas de FHC

    O internalta curitibano, Fernando César de Oliveira, descobriu que o Deputado Antonio Carlos Pannunzio descobriu e denunciou, sem querer, os gastos excessivos de FHC com os cartões corporativos do governo federal, o Deputado provavelmente pensava estar investigando algum assessor petista e o tiro saiu pela culatra.

    Em 26 outubro de 2005 Pannunzio apresentou um pedido de informações sobre o uso de cartões corporativos do governo federal. Em seu requerimento, listou 66 nomes, entre eles o de Eduardo Maximiano Sacillotto Filho, ele não imaginava que este era um guarda-costas do ex-presidente Ferando Henrique Cardoso.


    Num discurso inflamado que lembrou a sua fulgurante interrupção da CPI dos Cartões na semana retrasa, na qual o deputado deu a noticia da queda do avião que não caiu, Pannunzio proferiu as seguintes palavras: "Estamos pedindo informações sobre os mais de 66 nomes de ilustres desconhecidos que estão listados aqui, de "A" a "Z"”


    “A Casa Civil do governo Lula respondeu ao requerimento em 20 de dezembro de 2005. Em fevereiro do ano seguinte Pannuzio reapresentou requerimento similar, no qual exigia informações mais detalhadas dos gastos e ampliava o período a ser analisado. Obteve resposta no mês seguinte, em março de 2006, conforme atesta a página da Câmara dos Deputados na internet (links abaixo). Desde então, o tucano silenciou. Não fora registrada nenhuma outra manifestação de Pannunzio sobre o assunto.” (Fonte: Fernando C. de Oliveira)

    No site da Câmara, não é possível acessar a resposta recebida por Pannunzio. Teria o tucano sido avisado que um dos "ilustres desconhecidos" era segurança de FHC?

    http://www.camara.gov.br/sileg/Prop_Detalhe.asp?id=304769 http://www.camara.gov.br/sileg/integras/351641.pdf
    _________________________
    Esta matéria foi postada no blog www.bahcaroco.blogspot.com e pode ser reproduzida a vontade

Postar um comentário