Isto é Tasso Jereissati!!

Encontrei o texto abaixo nos arquivos do Portal Vermelho e resolvi publicar, para mostrar aos leitores como o presidente do PSDB é hipócrita, demagogo e incompetente.
Ele gosta muito de aproveitar o espaço que lhe é dado na imprensa para disparar suas bravatas contra o Presidente Lula e o PT. Porém, não tem moral para isso.
O sujeito governou o Ceará e deixou o estado em completo abandono e miséria, imprimindo o rastro de incompetência que é peculiar aos governos Tucanos.

GUINA.

A herança de Tasso Jereissati


Em 1987 o empresário Tasso Jereissati assume o governo prometendo o fim das oligarquias e a chegada de uma nova era de desenvolvimento, eliminando o flagelo da fome e da miséria que secularmente atormenta nossa gente. Passados 16 anos, com Tasso pessoalmente no comando por 12 anos, é constatado em todos os indicadores sócio - econômicos o fracasso do modelo implantado, chamado pejorativamente de "cambebiano".
A estratégia de industrialização centrada nos polêmicos incentivos fiscais revelou-se de pequena eficácia no revertimento da exclusão e no prometido desenvolvimento. A falência de micro e pequenas empresas locais falaram mais alto. Em 2001 decrescemos 3,7% em relação a 2000. No período cambebiano o crescimento industrial do estado ficou abaixo do verificado no Maranhão, Piauí, Rio Grande do Norte e Paraíba. A postura da oligarquia empresarial em relação à agricultura foi de desprezo total, deixando 40% da população economicamente ativa totalmente abandonados. O Ceará passa a ser importador dos principais produtos agrícolas.
O chamado equilíbrio financeiro tão apregoado na propaganda oficial há muito deixou de existir. Hoje a dívida do estado só em dólar é de 1,5 bilhão, apesar de já termos pago desde 1987 a astronômica cifra de R$ 4 bilhões com encargos e amortizações dessa dívida. A balança comercial é deficitária desde 1993.
No que diz respeito ao desmonte da máquina estatal os tucanos tupiniquins são campeões. Extinguiram órgãos públicos de relevantes serviços prestados à comunidade como COHAB, IOCE, CODECE, SEPROCE, CEDAP e EPACE. Privatizaram a COELCE, venderam ações da antiga Teleceará, quebraram (rombo de R$1 bilhão ) e federalizaram o BEC para posterior privatização.
A tão prometida redenção dos conterrâneos ficou para as calendas gregas. A pobreza atinge 58% da população, com 4,1 milhões sem renda suficiente para aquisição de uma cesta básica.
A toda poderosa e prepotente elite empresarial governante não tem como esconder esta herança, deixada após 16 anos ininterruptos de governo, de um estado endividado, atrasado, sem patrimônio, dependente de recursos externos e o povo, na sua grande maioria, na miséria.
O novo governador Lúcio Alcântara (PSDB), preocupado com o recado das urnas em 2002 de forte desejo de mudanças (livrou-se da derrota por apenas 3.047 votos), emite sinais de possíveis alterações. Em entrevista no jornal O Povo (18/11/02) fala em dar ênfase às micros e pequenas empresas, reavaliar a política de incentivos fiscais, ser contra a privatização da CAGECE (Companhia estadual de água e saneamento), acabar em parte com o imposto (ICMS) antecipado, reconhece a baixa capacidade de investimento do estado como também o prejuízo de R$ 1 bilhão causado com a falência do BEC. Fala que estaria começando um novo ciclo, com uma nova maneira de agir, de conduzir assuntos administrativos e políticos, de diálogo com a sociedade. Finaliza a entrevista defendendo parceria com o governo Lula e desejando que concretize uma boa administração.
A composição do secretariado de Lúcio revela grande influência de Tasso. Os primeiros sinais de seu governo apontam para a continuidade do mesmo esquema de poder com uma postura mais aberta para a sociedade. Possivelmente fará correções no projeto implantado nestes 16 anos ajustando-o às mudanças mais gerais implementadas pelo governo Lula em plano nacional.
O desejo de mudanças manifestado nas eleições de 2002 continua forte no Ceará. Manifestar-se-á no parlamento e nas ruas em cima de lutas concretas, cobrando do novo governante o cumprimento das sinalizações apontadas na referida entrevista. A onda mudancista deverá voltar com força nas eleições municipais de 2004 nas maiores cidades do estado. O carisma de Inácio Arruda, refletido mais uma vez na expressiva votação de mais de 302.000 votos para deputado federal, o torna um nome forte para o embate em Fortaleza com repercussões positivas em outras disputas municipais. O povo cearense vai buscando caminhos que levem o nosso estado a um rumo de progresso, de conquistas sociais e democráticas.

Fonte: Arquivos - Portal Vermelho

AddThis Social Bookmark Button

1 comentários

  • Zinho - M.A.R.  
    9/1/08 11:13 AM

    Tasso Jereissati, esse cara além de não ser mais o governador do estado do Ceará, felizmente, ainda continua soltando o seu veneno por aqui. Dessa vez quer construir uma torre nas margens do Rio Cocó, arriscando causar um grande impacto ecólogico na área, há rumores de que subornou a secretária do Meio Ambiente, para conseguir uma licença para a construção do empreendimento. Apesar de que existem leis, modificadas por ele mesmo, que autoriza tais atitudes, nós do M.A.R. não deixaremos que ele alcance, tão fácil assim, os seus objetivos, lutaremos até o último instante, em um momento em que a população mundial se mobiliza para dar uma maior proteção a natureza, é uma grande idiotice pensar diferente. O Parque Ecólogico do Cocó está sendo destruido aos poucos, devido a construção desordenada de vários prédios na região. Pedimos a colaboração de todos que puderem se mobilizar em defesa dessa causa. Para qualquer informação meu e-mail é: sem-governo@hotmail.com

    !!! Viva a Natureza de Fortaleza !!!

Postar um comentário