Serra: quanto pior, melhor
O Vermelho reproduz o artigo publicado na edição 381 da revista Carta Capital
Por Nirlando Beirão*
José Serra é melhor do que ele simula ser e é pior do que ele próprio, no íntimo, pensa que é. Derrotado por Lula em 2002 e virtual candidato a um replay presidencial este ano, representando a fauna tucana, Serra é dono de estilo pessoal e intransferível.
Na condição de prefeito de São Paulo, por exemplo, ele não administra uma cidade; administra um telefone, conectado on-line, tipo linha vermelha, com figurões da mídia propensos a lhe conceder favores editoriais em troca do privilégio supremo de privar da sua inteligência maliciosa.
Do peculiar modo de ser de José Serra faz parte o cultivo mítico daquele telefonema insone, madrugada adentro, que afaga o jornalista vaidoso como se fosse uma luxuosa credencial de intimidade e reforça, de quem chama para quem ouve, a mística impenitente do conspirador da escuridão, político de sussurros maquiavélicos quando se trata de pedir, sem nenhuma piedade, a cabeça alheia.
O ex-ministro da Saúde cultiva uma fisionomia mortiça e uma expressão carrancuda que só podem – mesmo para um torcedor do Palmeiras – ser efeito de algum exercício de dramaturgia política, e não há como não desconfiar que as olheiras promocionais são desenho de um maquiador de filmes feitos para chorar.
Nada é gratuito, em ano eleitoral. E José Serra é mestre em gestos simbólicos e em golpes de cena. O paradoxo de sua estratégia é este: repisando aquilo que os outros chamam de defeitos, enunciam-se os ocultos predicados da ave rara. A construção do personagem que vai às urnas é como a de um ator da novela das 8: artifício ficcional.
Sugerem os aliados de Serra que ele prima por ser impontual, portanto mal-educado; que ele é difícil, emburrado, obcecado, antipático, quase intratável. Dizem isso para que se leia assim: Serra é independente, insubmisso, avesso aos conchavos, sincero, determinado. Em outras palavras: Serra é, na verdade, o que Lula prometia ser e não foi.
Quem já não leu essas pitadas de militância nas medíocres plantações dos cotidianos amigos? Serra, o reformador que não faz concessões. O político a quem o establishment econômico de fato teme. O cabeça-dura capaz de mudar o País.
A realidade não é bem essa, mas quem quer realidade quando as cortinas de espetáculo estão para ser abertas?
Portal Vermelho

AddThis Social Bookmark Button

2 comentários

  • marcosomag  
    20/2/06 2:41 AM

    Estes são alguns links comentados para você avaliar, e colocar na lista de links de seu site.
    http://resistir.info - ótimo site ligado ao Partido Comunista Português. Tem uma tendência mais ortodoxa, bem de acordo com o PCP.Porém, acolhe artigos até de centro-esquerda, sendo mais anti-imperialista do que comunista-ortodoxo. A maioria dos artigos são extensos e de ótimo nível.

    http://brasil.indymedia.org - o endereço do "Mídia Independente" é obrigatório para aqueles que buscam romper o cerca da mídia capitalista. Vanguarda da luta anti-imperialista em todo o mundo. Acesse e publique seu artigo.

    http://www.broadleft.org - este é obrigatório para qualquer simpatizante de esquerda. Diretório que tem links para organizações de esquerda das mais variadas tendências em todo o mundo. Obrigatório.

    No mais, gostaria de sugerir que você pesquise sobre outros blogs de esquerda da rede, e coloque nos sua lista de links. A direita é muito mais organizada no Brasil, em termos de blogs. Um blog aponta para o outro, formando uma rede conservadora que trabalha pelo atraso do Brasil e do mundo. Está na hora do contra-ataque da esquerda.

    Ainda não tenho site, mas em breve devo construir um. Pesquisando "marcosomag" na Internet, você poderá artigos meus escritos no "Mídia Independente".

  • jose justino de souza neto  
    21/2/06 2:25 AM

    Serra é o NOSFERATU. Parasita como todo tucanalha.

Postar um comentário