O Ódio a Lula


A expressão de ira e ódio estampada no rosto dos opositores do Presidente Lula reflete muito mais do que a disputa política em si.
O ódio que eles têm é um ódio de um grupo de políticos que dominaram este país durante décadas e não conseguem aceitar que um ex. operário e nordestino governe a nação.
É o ódio do preconceito das elites, dos frequentadores das 'Daslus' da vida.
É o ódio dos que perseguiram, assassinaram e torturaram estudantes e trabalhadores durante a ditadura militar.

É o ódio daqueles que classificam os movimentos sociais como bardeneiros, mas salvaram banqueiros da falência com o dinheiro público quando governaram.
É o ódio dos mesquinhos e egoístas que só se preocupam com a própia vida e acham que os mais pobres não são irmãos brasileiros que merecem dignidade.
É o ódio daqueles que não aceitam que se olhe para o Nordeste como uma região a ser desenvolvida aliviando assim o sofrimento de décadas de uso de um povo somente em período eleitoral.
O ódio destes senhores não é somente pela busca ao poder.Eles traman e maquinam contra Lula e seu governo porque sanbem o que e quem ele representa.
É um ódio dos que querem matar a esperança de cada vez mais ter-mos 'Um País de Todos'.

AddThis Social Bookmark Button

1 comentários

  • Humberto Capellari  
    21/10/06 12:02 AM

    Dossiê: Não existe mais nada a ser perguntado?
    Não me recordo direito mas, me parece que, num desses habituais ataques do PCC, alguém da polícia ou da Secretaria de Segurança, ao ser questionado sobre as comunicações da facção, teria dito algo mais ou menos como:" estávamos deixando-os conversarem à vontade , porém grampeados, para sabermos de seus planos."
    Ou algo assim.
    Me soa correto.
    E me veio a questão: "Se esse tipo de ação - deixar com que os meliantes negociem qualquer coisa, sem ser atrapalhados, nem abortada a negociação no meio do andamento, mas apenas acompanhando e colhendo informações, para pegar dois coelhos de uma vez - é uma estratégia útil a ser empregada, por quê isso não foi feito no caso do dossiê?"
    Explico melhor:
    Os Vedoin estavam sendo grampeados e suas movimentações financeiras acompanhadas.
    Como eles fariam para movimentar o dinheiro da venda do dossiê?
    Depositariam em contas no estrangeiro?
    Acertariam algum débito vencido?
    Comprariam imóveis? Automóveis?
    Não teria sido melhor, do ponto de vista da Inteligência Policial, deixá-los agir, sem descuidar da preocupação sobre de onde veio o dinheiro dos compradores, mas acompanhar os passos que os Vedoin dariam a partir dali, o que poderia favorecer as demais investigações em andamento?
    Não sei. Essa história ainda tem muitos furos, e não são furos de reportagem.

Postar um comentário